Município de Alenquer

Grupos Corais do Concelho

Atualmente são dez os grupos corais do concelho no ativo. Cantam com alma e com o claro objetivo de contribuir para a sua afirmação e salvaguarda enquanto traço maior da cultura alentejana. Fruto de um trabalho de várias décadas que tem envolvido pessoas, associações e autarquias locais, os grupos corais  são hoje os agentes principais de uma ação de valorização do cante, atuando em diversos momentos da vida cultural do concelho (e fora dele), levando o cante às escolas, sensibilizando as crianças para esta marca da nossa tradição oral. 

  • Grupo Coral Misto da Sete

    Multimédia0

    Grupo Desportivo e Cultural da Sete

    O Grupo Coral Misto da Sete foi criado em setembro de 2015 e é formado por vozes masculinas e femininas.

    Com o intuito de preservar a tradição do cante, o Grupo Coral Misto da Sete canta um cante de antigamente, dos tempos em que os trabalhos se faziam nos campos e as modas aliviavam os dias árduos. Apesar de recente, o grupo conta já com mais de uma dezena de atuações. 

  • Grupo Coral “Seara de Abril”

    Multimédia0

    Associação Seara de Abril

    O Grupo Coral “Seara de Abril” nasceu a 4 de dezembro de 2014 como forma de assinalar o primeiro aniversário do Lar “Seara de Abril” de Santa Bárbara de Padrões. O grupo é atualmente composto por 17 mulheres, todas colaboradoras do Lar de Idosos que, com agrado, aceitaram o desafio de ensaiar e dar voz a um conjunto de modas tradicionais alentejanas. Espírito de grupo e companheirismo são palavras de ordem deste coral que ao cante associa a alegria, a boa-disposição e o convívio.

  • Grupo Coral Os Cardadores da Sete

    Multimédia0

    [ACA - Os Cardadores]

    O grupo surgiu em 2001 na aldeia da Sete. Composto apenas por vozes masculinas, adotou a denominação Cardadores em representação dos homens que tratavam e cardavam a lã. Tem dois trabalhos discográficos editados, intitulados Moda dos Cardadores (julho de 2003) e Margarida (março de 2006).

    Para além do seu vasto repertório do cancioneiro tradicional interpreta também o cante ao menino, janeiras, reis e cante para pedir chuva. Entre outros encontros destaca-se a paticipação no Festival Nacional de Folclore (Azambuja, junho de 2007), na Planície Mediterrânica - XV Festival Sete Sóis Sete Luas (Castro Verde, 2007, 2008), na Festa do Trabalhador (Casa do Benfica de Lenzeburg, maio de 2008).

    Tem sido convidado para participar noutros projetos / eventos como Encontro de Violas - Viola Campaniça e Viola Caipira, Pedro Mestre e Chico Lobo (agosto de 2008), oficinas de cante alentejano, participação no filme Canto a Vozes, da autoria de Francisco Manso. 

  • Grupo Coral Feminino e Etnográfico As Papoilas do Corvo

    Multimédia0

    [ACA - Os Cardadores]

    Fundado em Junho de 2001, este Grupo Coral Feminino e Etnográfico é natural da Aldeia do Corvo (Castro Verde). Apresenta-se trajado com uma farda representativa do trabalho do campo, nomeadamente a ceifa e a monda. O grupo gravou o disco Zuca Zuca  (2006). Participou no filme Canto a Vozes  (Francisco Manso); Caderno de Danças do Alentejo  (Lia March, 2010); o mais recente trabalho de Tiago Pereira Dêem-me Duas Velhinhas e eu Dou-vos o Universo  (2013). O seu repertório assenta também em modas que se dançam. Dos bailes de rodas, às danças de jogo, as Papoilas mostram um outro Alentejo em apresentações únicas e originais, as quais incluem oficinas de Modas e Danças Tradicionais.

  • Grupo Coral As Atabuas de São Marcos da Ataboeira

    Multimédia0

    Em Outubro de 2003, em São Marcos da Ataboeira, nasceu este coral feminino. A ideia partiu de um conjunto de senhoras que desde sempre cantaram modas alentejanas. Atualmente o grupo é composto por 15 elementos e conta com um trabalho discográfico editado, As Atabuas  (2006). O Grupo tem participado em várias iniciativas de cariz cultural, destacando-se as seguintes: Quinzena Cultural – Primavera no Campo Branco (Castro Verde); Planície Mediterrânica – Festival Sete Sois, Sete Luas (Castro Verde) e Entrudanças (Entradas). Tem organizado o seu Encontro de Grupos Corais e concertos de Cante ao Menino, Janeiras e Reis, entre outros.

  • Grupo Coral e Etnográfico As Ceifeiras de Entradas

    Multimédia0

    [Cortiçol - Cooperativa de Informação e Cultura]

    O grupo coral As Ceifeiras de Entradas nasceu da vontade de um punhado de mulheres entradenses que resolveram fazer do cante a sua atividade lúdica. Fundado em 2009, atuou pela primeira vez a 26 de Julho desse ano aquando das Festas de Santiago em Entradas. A partir dessa data passaram a ensaiar ainda mais afincadamente, sendo hoje um grupo consolidado no panorama do cante alentejano feminino. Em 2012 editaram o seu primeiro trabalho discográfico CHÃO.

  • Grupo Coral Etnográfico Vozes de Casével

    Multimédia0

    [ACA - As Vozes das Terras Brancas]

    Em Fevereiro de 1988 as vozes de uns quantos homens de Casével juntaram-se para cantar a moda, para viver o cante. Nesse tempo, por força da vontade, estabeleceram-se procurando o desenvolvimento de um trabalho disciplinado com vista à constituição de um grupo. O coral As Vozes de Casével mantém desde então uma dinâmica intensa. Trajados a rigor levam o seu cante a diferentes paragens e mostram ainda a sua riqueza na sede da associação que criaram. Aí podem ser admiradas alfaias e outras peças de valor museológico. Na associação de cante Vozes das Terras Brancas há sempre espaço para um copo de vinho e um convite ao cante cheio de Alentejo.

  • Grupo Coral Os Ganhões de Castro Verde

    Multimédia0

    [ACA - Os Ganhões]

    Formados em 1972, Os Ganhões têm levado o seu cante a vozes a todo o país e a alguns festivais internacionais, divulgando a riqueza desta singular expressão musical e a sua admirável etnografia.  Como forma de perpetuar a sua existência, o grupo gravou os LP Castro Verde és Nossa Terra  (1975) e Ganhões de Castro Verde  (1980). Desde então, regista em CD os trabalhos Modas Alentejanas  (1994), considerado pela crítica especializada como o melhor disco de música étnica, É Tão Grande o Alentejo (1997),  O Círculo que Leva a Lua  (2003) e a antologia Terra  (2006). Para além dos habituais encontros de corais e oficinas de cante, Os Ganhões de Castro Verde têm integrado projetos ligados a outras áreas artísticas e musicais, tais como a dança contemporânea, o jazz e a world music.

  • Grupo Coral Feminino e Etnográfico As Camponesas de Castro Verde

    Multimédia0

    [Cortiçol - Cooperativa de Informação e Cultura]

    O grupo coral As Camponesas nasceu em 1984. Representa o regresso das mulheres ao cante do Alentejo. A sua persistência potenciou o estímulo que fez surgir outros grupos femininos no universo do cante a vozes. Tem vários discos editados, com destaque para uma recolha de Modas dos Mastros, e participações em trabalhos de Vitorino e Janita Salomé. As Camponesas continuam a ser uma peça importante na afirmação da divulgação do cante alentejano e dos trajes de várias figuras da sociedade de um outro tempo que importa relembrar.